segunda-feira, 25 de abril de 2011

A Moda no Casamento

Matrimónios são relatados na “Bíblia” e retratam que a noiva sempre se vestiu de forma especial para ocasião

O casamento entre o príncipe William e sua eleita, Kate Middleton, na sexta-feira, é o grande evento da semana e as especulações sobre comidas, decorações e, principalmente, o que a futura princesa vai vestir estão em alta. Porém, a história do vestido de noiva está ligada à própria origem do casamento e era um símbolo do património das famílias, da fertilidade da mulher e da paixão entre o casal. Antigamente a veste nupcial podia ser de qualquer cor, desde que fosse luxuosa e deslumbrante.
Na Idade Média, com a consolidação do cristianismo, o casamento passou a ser considerado um sacramento religioso e a noiva era apresentada com todas as suas joias, usava um vestido na cor vermelha e trazia um véu branco na cabeça. O vermelho simbolizava a capacidade da noiva em gerar herdeiros e o branco representava sua castidade.



Já no período da Renascença a noiva, em consequência da ascensão da burguesia mercantil, passou a vestir-se com mais esplendor. Os vestidos eram feitos de tecido aveludado e traziam o brasão da família.
No fim do Renascimento a corte católica espanhola determinou a cor preta como adequada para o traje nupcial porque demonstrava moral e estética religiosa. Porém, foi neste mesmo momento que a cor branca passou a ser usada no vestido de noiva.

A cor
O uso do branco surgiu a partir de três teorias. Uns acreditam que foi a italiana Maria de Médici a primeira a vestir-se de branco. Outra corrente histórica afirma que foi a rainha Mary Stuart, da Escócia, que impulsionou o uso da cor.
Outros historiadores dizem que a tradição do branco só começou depois que a Rainha Victoria, da Inglaterra, que usou um vestido branco luxuoso no seu casamento com o Príncipe Albert. Vale lembrar que foi a rainha Vitoria quem pediu o noivo em casamento e ainda fez uso de um véu, peça proibida para rainhas.
Desde então, a cor branca passou a ser a cor mais usada nos vestidos de noiva, em todo o mundo.

De diferentes formas, mas todas de realeza
Os vestidos usados por Elizabeth e Lady Di marcaram a época e fizeram histórias; para o casamento de Kate, especula-se que Sarah Burton, directora criativa da grife britância Alexander McQueen, é a mais forte candidata.

Nascida em 21 de Abril de 1926 em Mayfair, Londres, a então princesa Elizabeth era bisneta da Rainha Vitória. Em 1947 a princesa se casou com o príncipe Phillip Mountbatten, duque de Edimburgo, seu primo de terceiro grau usando um lindo vestido de noiva, em cetim bordado com pérolas e diamantes, guirlandas de flores, longo véu bordado e tiara de pérola assinado por Norman Hartnell, o costureiro oficial da corte inglesa.
A rainha Elizabeth é a mais velha monarca britânica de todos os tempos, a primeira rainha a celebrar os 60 anos de casamento e  avó do príncipe William.

Sonho Encantado
Muitas mulheres pelo mundo fora sonham em casar-se com um príncipe. Mas, são pouquíssimas que conseguem tornar esse sonho realidade.
Esse foi o caso de Diana Spencer, a Lady Di, uma professora de apenas 20 anos que se tornou princesa ao casar com o príncipe Charles, primogénito de Elizabeth e Phillip no evento que foi considerado o “casamento do século”.

Diana usou um dos vestidos mais emblemáticos da história, de autoria da dupla Elizabeth e David Emanuel e que acabou se tornar objecto de desejo para mulheres dos quatro cantos do planeta.
Feito em tafetá de seda pura, com aplicação de renda bordada, lantejoulas e 10 mil pérolas, o vestido de mangas bufantes tinha uma cauda de quase 8 metros. O casamento real aconteceu em 29 de julho de 1981 na Catedral de Saint Paul e foi acompanhado pelo mundo todo.
E agora a história repete-se com o primogénito de Charles e Diana que se casará com a plebeia Kate Middleton, integrante de família descendente da classe operária inglesa, na sexta-feira, dia 29 de Abril.

William conheceu Kate na universidade de St. Andrews onde os dois se formaram, ele em geografia e ela em história da arte.
Reforçando a tese de que o sonho feminino de se tornar princesa é realmente verdadeiro, quem frequentou a universidade garante que o número de matrículasde raparigas aumentou muito durante o período em que o príncipe esteve por lá.
A mãe de William foi uma princesa muito querida pelo povo e ícone de estilo. A futura princesa é dona de um estilo moderno e elegante e que tem semelhanças bem próximas ao estilo de Diana. Kate mistura o tradicional com o contemporaneo e é uma versão mais moderna da eterna princesa do povo.

O mais esperado
Nenhuma informação a respeito do vestido da próxima integrante da família real foi confirmada, mas especula-se que Sarah Burton, a diretora criativa da grife britânica Alexander McQueen, é a mais forte candidata para desenhar o traje de Kate.
A estilista Sarah Burton assumiu a criação prestigiosa e transgressora da marca após a morte de Alexander McQueen, no ano passado, que comoveu o mundo da moda. Kate também usará durante a cerimónia o anel de noivado oferecido por William e que pertenceu a Lady Di.
A cerimónia do casamento acontecerá na Abadia de Westminster e no Palácio de Buckingham, onde a rainha dará uma recepção para o casal e convidados, que incluirão a família e amigos íntimos dos noivos. À noite, o pai de William, o príncipe Charles, receberá os convidados para um jantar seguido de um baile também no palácio.

Sem comentários:

Enviar um comentário